Quem faz

O De olho no Campo foi criado em janeiro de 2014 pelo estudante Paulo Palma Beraldo, do curso de Jornalismo da Universidade Estadual Paulista (Unesp), de Bauru-SP. 

Como tudo começou?
No início do ano de 2013, tive a oportunidade de participar do Ciclo de Palestras e Visitas promovido pela Associação Brasileira do Agronegócio de Ribeirão Preto-SP (ABAG-RP), organizadora do VI Prêmio ABAG-RP de Jornalismo. 

Na oportunidade, conheci as cadeias produtivas do café, da cana-de-açúcar e da pecuária, visitando cooperativas, laticínios e empresas do setor. Não imaginava que o universo rural fosse tão amplo e nunca tinha pensado em trabalhar com jornalismo e agropecuária. A partir dessas visitas, mudei de opinião e inscrevi duas reportagens para concorrer ao Prêmio da ABAG.

No final do ano, o resultado e a surpresa: na premiação, realizada em Ribeirão Preto-SP, a minha reportagem sobre os desafios logísticos do agronegócio foi escolhida como a vencedora.

Também já tive alguns textos publicados no Portal Dia de Campo e no Rural Centro/UOL, referências da Internet quando se fala de agricultura e pecuária. Além de uma reportagem especial publicada na Revista Campo Aberto sobre comunicação e agronegócios no Brasil. 

Fui pesquisador da FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) durante um ano, investigando questões relativas ao direito e à comunicação. Em 2013, fui vencedor do Prêmio de Jornalismo da Associação Brasileira do Agronegócio da Região de Ribeiro Preto (ABAG-RP), na categoria mídia escrita.

Além disso, também fui vencedor do Prêmio Massey Ferguson de Jornalismo, um dos mais importantes do setor agropecuário, na categoria Estudantes no ano de 2013 e de 2014. Na ocasião, produzi uma reportagem sobre a comunicação dentro do setor agropecuário, abordando exemplos como o da Embrapa e de entidades como a Sociedade Rural Brasileira.

No outro ano, a publicação foi sobre agricultura e o uso da água, que pode ser acessada por este link. Entrevistei profissionais da Embrapa, da Agência Nacional de Águas, do Instituto Agronômico do Paraná e de outras instituições importantes no setor, além de representantes de empresas. 


Por conta disso, decidi criar minha própria mídia direcionada ao universo rural. 

Em junho de 2014, o Estadão realizou a 2º Semana Estado de Jornalismo Ambiental, ciclo de palestras que reuniu mais de 200 estudantes de Jornalismo de todo o Brasil na sede do jornal, em São Paulo, ligada ao 2º Prêmio Tetra Pak de Jornalismo Ambiental. 

Para participar da premiação, os alunos com 100% de frequência no evento deveriam elaborar uma reportagem com o tema: “É possível crescer sem destruir o meio ambiente?”. Os seis textos finalistas ganharam uma viagem organizada pela Tetra Pak para conhecer as reservas florestais do Paraná.

Minha reportagem sobre integração lavoura-pecuária foi escolhida como uma das finalistas do 2º Prêmio Tetra Pak de Jornalismo Ambiental, tendo sido publicada no site do jornal. Você pode acessá-la aqui

Em 2015, fui finalista da terceira edição do mesmo prêmio, com reportagem sobre o uso da racional da água no campo. A reportagem foi veiculada no jornal e pode ser lida aqui.  


Entre fins de 2015 e meados de 2016, o site esteve desatualizado. Isso porque ganhei uma bolsa de estudos da Associação de Universidades Grupo Montevideo (AUGM) e fui viver um semestre em Santiago, Chile. 

Atualmente
Faço atualmente estágio no Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), ligado à Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz", Esalq, da Universidade de São Paulo. Estou aqui desde fevereiro de 2016 envolvido principalmente com temas envolvendo pecuária (boi, aves, suínos e ovos) e o mercado de açúcar e etanol. 

Na mídia
De Olho no Campo já apareceu em alguns sites, como no Conselho Nacional da Pecuária de Corte, o CNPC, onde teve uma reportagem reproduzida. 

Além disso, fui um dos entrevistados do programa Mercado Futuro (foto abaixo), apresentado pelo jornalista Antônio Reche há mais de 14 anos. É um programa de entrevistas veiculado de segunda à sexta pelo Canal do Boi com duração de 30 minutos. Reche me convidou porque achou interessante a iniciativa de criar um site e de ser um jovem interessado em agropecuária.  

Para quem quiser saber mais sobre a viagem para São Paulo e a entrevista com Antônio Reche, leia esta crônica. O vídeo está disponível abaixo. Outro texto publicado sobre mim e o De Olho no Campo está no site do jornalista Antônio Reche





Leia também