Embrapa apresenta tecnologias de ponta na Agrifam 2014

Estiveram presentes na 11ª Agrifam onze das 47 unidades da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Texto e fotos: Paulo Palma Beraldo

O estande da Embrapa trouxe o que há de melhor em termos de tecnologia para os visitantes. Com diversas palestras e especialistas em temas como agricultura de precisão, sistemas integrados de produção, fruticultura, novas cultivares e informatização, os visitantes puderam ter contato e tirar dúvidas com pesquisadores.

Na área de agricultura de precisão, destaque para a pulverização eletrostática. As perdas de defensivos agrícolas ocorridas durante as pulverizações tradicionais são elevadas, sendo que 77% dos produtos químicos não atingem diretamente a planta. Daí a idéia de criar um pulverizador hidráulico costal eletrostático. 

Funciona basicamente assim: as gotas têm cargas elétricas inversas às das folhas das plantas. Como num imã, isso atrai uma à outra. De acordo com Moisés Baiochi, engenheiro agrônomo da empresa que produz o pulverizador eletrostático em parceria com a Embrapa Meio Ambiente, o custo do produto é de 3.000 reais.  

- O equipamento permite economizar até 50% na aplicação de defensivos agrícolas. Vai impactar diretamente a vida do pequeno produtor - conta Moisés Baiochi. 

Um motor multicombustível de baixo custo também chamou atenção dos visitantes. Desenvolvido pela Embrapa Meio Ambiente, o equipamento transforma qualquer fonte de calor – álcool, gasolina, velas, gravetos - em energia. Feito com materiais reaproveitados, ele é capaz de encher uma caixa d’água de 1.000 litros em três horas. Pode ser usado para carregar pequenas baterias, acionar bombas d’água na irrigação e gerar iluminação. Tanto o motor multicombustível quanto o pulverizador eletrostático foram idealizados pelo pesquisador Aldemir Chaim. 

Os veículos aéreos não-tripulados (VANTs) também estiveram presentes e chamaram a atenção de quem passou pelo estande da empresa. O produto é capaz de detectar a ocorrência de falhas e pragas no plantio, obter mapas da lavoura e trazer uma visão panorâmica das culturas, dentre outras funções.

Pesquisadores da Embrapa Mandioca e Fruticultura, de Cruz das Almas-BA, trouxeram diversas cultivares de banana. As pesquisas buscam produzir variedades mais resistentes ou, ao menos, tolerantes às principais pragas da cultura, o Mal do Panamá e a Sigatoka-negra, responsáveis por causar perdas aos produtores.  Também foram apresentadas mandiocas biofortificadas com alto teor de betacaroteno (elemento que contém vitamina A).

Houve também o lançamento de um software gratuito para controle de verminoses em ovinos. O nome do produto é Sistema de Análise de Risco e Desenvolvimento de Resistência Parasitária a Anti-helmínticos em ovinos (SARA), desenvolvido pela equipe da Embrapa Pecuária Sudeste, de São Carlos-SP. 

Destaque ainda para as máquinas pós-colheita. Foram apresentadas uma abanadora de grãos e uma trilhadora de arroz, trazidos pela Embrapa Arroz e Feijão, de Santo Antônio de Goiás-GO.

Também de São Carlos havia um grupo especializado na integração lavoura-pecuária-floresta, conhecida como ILPF. Trata-se de uma estratégia de produção agropecuária sustentável que une atividades diversas em uma mesma propriedade. A ILPF permite a intensificação do uso do solo, o aumento da renda e uma maior biodiversidade dos ecossistemas.

Para os produtores interessados em se aprofundar sobre assuntos pesquisados pela Embrapa no país, a livraria da empresa estava comercializando suas obras a preços acessíveis.














Veículo aéreo não-tripulado (VANT). 


Máquinas pós-colheita

Cultivares de banana trazida pela Embrapa Mandioca e Fruticultura.



Postagens mais visitadas