Ministério vai recriar Departamento do Café

O ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) se reuniu nesta quinta-feira (18) com os produtores de café da região de Guaxupé (MG). Ele esteve em uma propriedade de produção do grão, no Complexo Industrial de Café Japy – o maior do Brasil em torrefação -  e no laboratório de controle de qualidade de café. 

Durante a visita, houve o anúncio da recriação do Departamento do Café na estrutura do Mapa e da determinação para que a Secretaria de Defesa Agropecuária busque a aprovação de novos produtos fitossanitários para atender à agricultura brasileira.
No encontro com produtores de 25 municípios da área de abrangência da Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé (Cooxupé), Maggi disse considerar a agricultura o caminho mais rápido para o país sair da crise econômica, com a geração de emprego e renda. Também falou sobre a busca por maior participação do agronegócio brasileiro no mercado mundial. Como parte desse esforço, acrescentou, está a viagem que fará no fim deste mês a sete países asiáticos para intensificar as negociações envolvendo produtos agropecuários nacionais.

O ministro reforçou que o governo está trabalhando para ter um novo seguro agrícola. “Criamos um grupo de trabalho, coordenado pelo ex-ministro Alysson Paulinelli, para buscar uma nova alternativa de seguro rural.” Ele destacou ainda a organização da cafeicultura nacional, seja na produção, armazenamento, classificação e comercialização. “Vim aqui para entender como o setor funciona para poder defendê-lo no governo.”
Durante a visita do ministro, o presidente-executivo do Conselho Nacional do Café (CNC), deputado federal Silas Brasileiro (MG), cumprimentou Blairo Maggi pela decisão de recriar o departamento que cuida dos assuntos da cafeicultura no Mapa. Ressaltou ainda que o Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) liberou este ano R$ 4,6 bilhões. “O dinheiro está sendo repassado aos agentes financeiros e está à disposição dos produtores. Esses recursos ajudam a gerar renda para o setor”, observou o parlamentar.     
Função social 

O presidente da Cooxupé, Carlos Alberto Paulino da Costa, sublinhou que o agronegócio hoje impulsiona a economia brasileira. Segundo ele, a importância da cafeicultura para o país vai além da contribuição para o superávit da balança comercial. “O setor também tem grande função social por ser gerador de empregos e distribuidor de renda. A Cooxupé é um exemplo disso”, enfatizou, assinalando que 97% dos associados da cooperativa são pequenos produtores familiares.  
A Cooxupé é a maior cooperativa de café do mundo, com mais de 13 mil cooperados. Abrange uma área com mais de 200 municípios no Sul de Minas, Cerrado Mineiro e Alta Mogiana (SP). Somente no ano passado, recebeu 5,19 milhões de sacas de café e exportou 4 milhões de sacas. Ela absorve 23% da safra de café do estado de Minas Gerais e 16% da colheita nacional. A produção brasileira de café no ano passado foi de 43,2 milhões de sacas e a previsão para este ano é de 49,6 milhões de sacas.

Visitas
Desde que assumiu o Ministério da Agricultura, em abril deste ano, Blairo Maggi tem realizado reuniões com representantes do setor produtivo do agronegócio para conhecer de perto o processo de produção e comercialização.

A primeira visita foi aos produtores de ovos no município de Bastos, em São Paulo. No mês de julho, Blairo Maggi esteve reunido com a cadeia produtiva do fumo do Rio Grande do Sul. Na semana passada, ele se encontrou com os agricultores dos municípios de Vacaria (RS) e São Joaquim (SC) para conhecer de perto a produção de maçã.

Foto: Divulgação/Mapa

Postagens mais visitadas