Bem estar suíno é cada vez mais cobrado no mercado

Secure Pig, produto francês, ajuda criadores a evitar agressividade e estresse dos animais, aumentando a produtividade 

De 29 de setembro a 14 de outubro, a cadeia de suinocultura vai estar no centro das atenções coma realização da 3ª edição da Semana Nacional da Carne Suína (SNCS). O mote deste ano é a sensibilização do consumidor final. E a qualidade da carne suína precisa começar ainda na fase de criação da espécie.

Manter o bem estar suíno é importante para manter uma boa produtividade. Além disso, o bem estar animal já é exigência do mercado internacional e, desde 2013, existe um acordo entre o Brasil e a União Europeia, nas qual há troca de ideias para melhor adaptação nacional. A Europa é muito mais rigorosa quanto à criação e exigências de bem estar suíno e de outros animais.

Para se adequar às regras mais exigentes, os criadores têm adotado estratégias para garantir o bem estar dos suínos. Além disso, novidades no mercado de produtos veterinários têm ganhado cada vez mais espaço.

Um dos produtos mais modernos e de destaque é o Secure Pig. Ele chegou ao Brasil no ano passado, apresentado pela Prevent, e tem ganhado cada vez mais adeptos. O produto, importado da França, libera um feromônio sintético que lembra o cheiro produzido pelas glândulas sebáceas da porca após o parto. 

“Os animais, principalmente nas creches, ficam mais tranquilos e isso reduz a agressividade e o estresse entre eles. A alimentação destes suínos acontece de maneira mais rápida quando chegam ao alojamento. Esta adaptação é mais demorada e pode causar transtornos aos animais sem um tratamento adequado”, explica Ari Caldeira de Almeida, diretor da Prevent, distribuidora da Inovavet, empresa que tem trazido novidades veterinárias para o Brasil nas áreas de suinocultura e avicultura.

O Secure Pig é indicado tanto para porcas em gestação e lactação, quanto para leitões desmamados, e que estão nas fases de creche e engorda. “Com o uso do Secure Pig, os suínos podem antecipar a saída da creche em um ou dois dias”, afirma Almeida. Ele é apresentado em sachê e cobre uma área de 25m², liberando a substância maternal por cerca de quatro semanas.


Fonte: Prevent
Foto: Nelson Morés/Embrapa 

Postagens mais visitadas