Região Central de Minas Gerais é polo de produção de tilápia

O vale do rio São Francisco destaca-se como um dos principais polos produtores de tilápia em tanques redes do Brasil. Somente em 2014, a região do lago de Três Marias, na região Central de Minas Gerais, produziu 6,7 mil toneladas do pescado. 

Segundo dados do Governo Federal, a receita gerada na região neste período foi de aproximadamente R$ 38 milhões.

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater–MG) trabalha com os piscicultores do entorno do lago, nos municípios de Felixlândia, Abaeté, Paineiras, Três Marias, Pompéu, Morada Nova de Minas, São Gonçalo do Abaeté e Biquinhas. No último ano, foram 154 produtores que receberam orientação dos técnicos da empresa.

"O apoio vai desde os trabalhos de legalização da atividade até assistência técnica e orientação na parte de produção. Atendemos produtores individualizados, grupos familiares e organizados através de associações. A atividade é responsável por aproximadamente 260 empregos diretos e quase 1.250 indiretos”, destaca o técnico da Emater-MG Carlos Augusto de Carvalho.

Já o coordenador técnico Regional da Emater–MG, José Eduardo Aracena Rasguido, explica que a produção é realizada em tanques de metal instalados dentro do rio que mantêm os peixes confinados até o final da engorda. 

“A criação de tilápia em tanques redes possui duas fases, a recria e a engorda. A recria dura em média dois meses e os peixes são alimentados não só com ração, mas também com plâncton. Após 60 dias, os peixes passam para a fase de engorda. Nessa fase, os peixes permanecem por mais seis meses com alimentação especial para atingir o peso ideal, com cerca de 800 gramas”.

Durante todo ciclo de criação, a tilápia recebe ração com diversas variações. “Todo confinamento é realizado com variação de 32% até 56% de proteína. Cada produtor utiliza uma tática específica, mas são utilizadas seis variações de ração durante o período de produção. A espessura da ração vai de 1,7 até 8 milímetros ”, destaca Rasguido.

Vantagens do tanque rede
Segundo Eduardo Rasguido, a produção do peixe em tanques redes apresenta vantagens. “Com facilidade de criação e lucratividade, a tilápia possui forte demanda e a atual produção não consegue atender todo mercado. O ciclo de criação é curto e o custo relativamente baixo. A criação pode ser feita a partir de oito tanques. As unidades consideradas pequenas possuem capacidade de produção de 600 quilos e o investimento é de aproximadamente de R$ 2,5 mil por tanque. O gasto com a produção é cerca de R$ 3,50 por quilo e o produtor recebe na venda, em média, R$ 5,50 por quilo. Ou seja, uma margem de lucro de R$ 2,00 por quilo, em uma produção que leva apenas oito meses”, ressalta o coordenador da Emater–MG.

Postagens mais visitadas