Novo serviço de análise meteorológica ajuda produtores de uva e maçã

Desde o mês de maio, produtores de maçã e uva do Rio Grande do Sul e de uva do noroeste de São Paulo contam com um serviço de informação meteorológica voltado a essas culturas. 

O boletim mensal é elaborado por especialistas da Embrapa Uva e Vinho (RS) e está disponível na página do centro de pesquisa. 

Trata-se de uma breve análise dos efeitos do clima nas culturas da videira e da macieira, acompanhada de gráficos e fotos. 

O produtor pode acompanhar também dados climáticos mensais coletados de três estações meteorológicas da Embrapa Uva e Vinho: em sua sede, em Bento Gonçalves (RS); na Estação Experimental de Fruticultura de Clima Temperado, em Vacaria (RS) e na Estação Experimental de Viticultura Tropical, em Jales (SP). As estações fazem parte da rede do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

As culturas de maçã e uva são bastante sensíveis a variações climáticas, como geadas tardias que afetam as brotações e chuva excessiva na época da colheita, o que faz da agrometeorologia uma área especialmente importante para auxiliar em seu manejo. 

A partir dos dados enviados pelas estações, os pesquisadores da Embrapa Maria Emília Borges Alves e Marco Antônio Fonseca Conceição emitem uma avaliação dos dados e sua influência sobre as culturas. O trabalho também conta com o apoio do técnico Adriel Davi Marconatto.

O boletim visa atender, de forma antecipada, às frequentes consultas de produtores, técnicos e imprensa à área de agrometeorologia sobre as condições de tempo e clima nas regiões em que a Embrapa Uva e Vinho atua. 

"Sempre quando acontece algo fora do padrão, como uma geada no período de brotação, recebemos muitas consultas para saber como isso irá influenciar na produção das frutas. Para facilitar aos interessados, criamos o boletim", informa Maria Emília. 

Maria Emília explica que, no Rio Grande do Sul, as duas culturas dependem de períodos mínimos de frio para se obter uma boa brotação,  o que faz com que esse  seja um dos dados priorizados nas análises. "As análises são feitas por meio da comparação entre as variáveis observadas e as normais climatológicas [consideradas comuns no período], com enfoque àquelas de maior interesse para a viticultura e a pomicultura como, por exemplo, horas de frio no inverno, pois são fundamentais para a dormência e para uma boa brotação", exemplifica a pesquisadora.

Segundo ela, a ideia é facilitar o acesso às informações e auxiliar na sua interpretação e seus efeitos nas principais culturas com as quais o centro de pesquisa trabalha. "As análises e os dados publicados no boletim poderão auxiliar os produtores na tomada de decisão para algum manejo específico, como a poda, por exemplo. 

Já os gráficos e as fotos são elementos visuais para exemplificar o período e poderão ser utilizados pelos produtores e veículos de imprensa", comenta Maria Emília. A pesquisadora também informa que, além dos boletins mensais, também serão publicadas edições especiais em ocasiões pontuais, como em caso de temporais ou geadas fora de época. 

Além disso, com o avanço da fronteira de plantio dessas culturas para regiões de clima mais quente, a análise da influência do clima e, principalmente, das temperaturas, umidade e regime hídrico, tem se tornado cada vez mais importante para o sucesso dos pomares e vinhedos. 

"A análise dos dados climatológicos, em conjunto com outros, apoiará a previsão e a análise da qualidade das safras, que poderá ser feita com mais detalhamento, em conjunto com outros pesquisadores da área da enologia, por exemplo", destaca Maria Emília. 

Outras práticas de manejo, como a escolha da melhor época da poda, aplicação de tratamentos fitossanitários, uso da irrigação e a própria colheita, poderão ser trabalhados de maneira criteriosa e mais eficiente, segundo a equipe.

Para Thompson Didoné, técnico da Emater (RS), o novo boletim meteorológico será um excelente instrumento para subsidiar o trabalho de assistência técnica  com produtores  no que diz respeito  aos tratamentos fitossanitários. 

"Tinha uma grande expectativa que um informativo como este pudesse ser disponibilizado. Com base nas informações, poderemos fazer um melhor diagnóstico e melhores recomendações para os produtores, reduzindo custos, com certeza", antecipa.

Tanto o cultivo da macieira como da videira estão localizados, em sua maior parte, em regiões com incidência de chuvas, o que está associado diretamente à ocorrência de suas principais doenças: míldio na videira e a mancha-de-glomerella na macieira. 

"Os produtores que, individualmente, ou orientados por técnicos, acompanharem os boletins informativos poderão se prevenir com a aplicação dos defensivos mais recomendados para cada situação, menos agressivos e mais em conta", pondera Didoné.

A notícia do novo boletim foi comemorada no Jornal Gazeta de Bento Gonçalves. A publicação contata semanalmente a Embrapa a fim de apurar dados e conversar com a equipe de especialistas para levantar como está a situação do clima. 

"Há mais de dez anos, temos uma parceria com a equipe da Embrapa e a chegada desse novo serviço vai auxiliar na publicação das informações para os produtores," destaca Ana Lúcia Zanelatto, diretora do jornal. Ela comenta que a publicação possui um encarte rural semanal destinado às diferentes comunidades da zona rural de Bento Gonçalves e que o boletim terá espaço garantido, pois irá auxiliar a entender o que está ocorrendo com as plantas. 

"Sempre decodificamos as informações das pesquisas da Embrapa para o entendimento pelos agricultores e esse boletim já vai trazer as informações prontas para publicarmos", comemora. Também já faz uma contraproposta, para que no futuro  o boletim seja semanal, pois acredita que as informações disponibilizadas vão ter uma excelente receptividade e utilidade para todos os agricultores.
 
Além do boletim, no espaço também poderão ser consultadas publicações relacionadas ao tema e, em breve, os dados meteorológicos dos últimos anos. O boletim meteorológico será disponibilizado mensalmente e estará dividido por localidade para facilitar a consulta. Na data da publicação, será enviado um aviso para os veículos de comunicação das regiões que receberão o novo serviço.
Foto: Giovani Capra/Divulgação

Postagens mais visitadas