Melhoria genética de ovinos e caprinos aumenta a renda do criador

O consumo de carnes e derivados de ovinos e caprinos vem conquistando o paladar de consumidores se espalhando entre os chefes de cozinha da alta gastronomia e animando produtores a investir no novo negócio.

Em São Paulo, e em outras capitais, podemos observar o aumento do número de restaurantes que preparam pratos a base de cordeiro, isto sem contar os bares de tradição culinária nordestina que fazem sucesso na capital paulistana e em várias regiões do estado. 

O consumo deste tipo de carne está começando a fazer parte até mesmo do tradicional churrasco dos brasileiros.

O leite de cabra também é muito utilizado na indústria de alimentos e na dermo-cosmética e o consumo de produtos a base de lã de carneiro, na região sul, aquece ainda mais este mercado, mas, ainda se trata de produtos de nichos de mercado

O consumo per capita destes produtos ainda é pequeno, mas a produção brasileira não atende a este mercado em ascensão. 

Apesar de o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) registrar que nos últimos 20 anos a produção interna do rebanho de ovinos dobrou de tamanho, a Secretaria de Comércio Exterior informa que até outubro do ano passado, 390 mil quilos de carne de cordeiro foram importados no país.

Só para termos uma ideia da produção no Brasil, dados do Anualpec (Anuário da Pecuária Brasileira, 2013) mostram que a produção de ovinos de 2002 a 2011 teve um aumento de 23% na região nordeste, 54% na região norte e na região sudeste o aumento foi da ordem de 56%.

Para ampliar o rebanho nacional e atender a esta demanda crescente, é importante que a seleção de reprodutores, o manejo do rebanho e o melhoramento genético destas criações sejam feitos com acompanhamento sistematizado.

Em geral, a escolha dos reprodutores de ovinos e caprinos se baseia em características raciais feitas por meio de técnicas de observação aprendidas com a experiência e que não garantem a qualidade genética do animal, nem a de seus descendentes.

Soluções tecnológicas para o aprimoramento do rebanho
A Embrapa Caprinos e Ovinos em Sobral (CE), unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) mantém o Programa Nacional de Melhoramento Genético para caprinos e ovinos com recomendações e ferramentas para alavancar a produção.

O Genecoc - Programa de Melhoramento Genético de Caprinos e Ovinos de Corte - um serviço de assessoria genética para ovinocaprinocultores é um exemplo de ferramenta que pode ajudar os criadores a melhorar seu rebanho.

Raimundo Lobo, pesquisador da Embrapa Caprinos e Ovinos, explica que o Programa presta assessoria aos criadores na escrituração zootécnica de seus rebanhos, gerando informações seguras e confiáveis que auxiliam na escolha e na seleção de seus animais.

Com a inserção dos dados dos animais no programa, a equipe do Genecoc gera resultados de avaliações genéticas com características produtivas e reprodutivas, disponibilizadas na forma de Diferenças Esperadas na Progênie (DEP's), como as que são utilizadas nos rebanhos de gado de corte e de leite.

A DEP é uma previsão da capacidade de um animal em transmitir os genes que afetarão o desempenho de sua descendência em uma determinada característica. Diferenças esperadas de progênie são usadas para comparar animais, dentro de uma raça, quanto ao desempenho de suas futuras progênies.

Para Viviane Martha, zootecnista da Embrapa Produtos e Mercado, unidade responsável pela comercialização e inserção de tecnologias produtos e serviços da Embrapa no mercado, o uso do Genecoc permite ao criador de ovinos e caprinos ter segurança na escolha dos animais, desde que ele tenha bem definido os objetivos e os critérios de seleção para o seu rebanho e utilize as DEP's na tomada de decisão.

Benefícios do GENECOC no melhoramento genético
Os benefícios com a utilização do Genecoc vão desde o conhecimento genético do rebanho, com a identificação de animais superiores, até benefícios produtivos, reprodutivos e econômicos.

Segundo seus desenvolvedores, com o uso correto do Programa, o criador consegue a redução de custos, suporte técnico para eliminação de animais que não correspondem às melhorias do manejo, adaptação ambiental de acordo com o nível de exigência dos animais, melhoria na competitividade,  retorno do investimento (entre 15 a 235%), aumento do valor dos animais na comercialização e aumento no ganho genético anual entre 2% e 10%.

Os pesquisadores ainda citam outros ganhos indiretos como: a integração entre rebanhos; a capacitação contínua de todos os envolvidos no processo; maior contato com técnicos especializados em diversas áreas do conhecimento; pesquisa direta com informações próprias e conhecimento das inovações tecnológicas em primeira mão.

Uma das estratégias da Embrapa é disseminar o uso da ferramenta através de parcerias com associações de raças para que o maior número de criadores seja beneficiado.

A parceria propõe a mobilização da associação para que os rebanhos de seus associados se integrem ao Programa de Melhoramento Genético de Caprinos e Ovinos de Corte e que passem a contar com o serviço de assessoria genética prestada pela Embrapa, por meio do Genecoc.

A primeira iniciativa acontece com a Associação Brasileira de Santa Inês (ABSI), que assinou convênio com a Embrapa para o melhoramento genético de ovinos da raça Santa Inês de seus associados.

A capacitação de criadores e técnicos da ABSI já teve início e abrange práticas de escrituração zootécnica, uso do sistema de gerenciamento de rebanhos e das ferramentas para seleção e cruzamentos, além da coleta de dados e inserção das informações no Genecoc, conforme padrões exigidos pelo sistema.

A seleção genética pode mudar a realidade dos criadores de ovinos e caprinos, porque a partir da análise das informações inseridas no Genecoc, as associações de raça, podem elaborar catálogos anuais com resultados das avaliações genéticas dos rebanhos (as DEP's), que orientam na escolha dos reprodutores.

Finalmente com o melhoramento genético e o aumento da produção, o produtor poderá abastecer melhor o mercado interno, o consumidor poderá ter acesso a estas opções de consumo de carne e derivados, os chefs de cozinha poderão incrementar suas receitas, tudo isso com preços mais competitivos.

Para informações, entre em contato com a Embrapa Caprinos e Ovinos no e-mail: caprinos-e-ovinos.imprensa@embrapa.br,  telefone (88) 3112-7413.

Fonte: Vera Scholze Borges/Embrapa Produtos e Mercado 
Foto: Paulo Palma Beraldo/De Olho no Campo

Postagens mais visitadas