Pesquisa comprova que inimigos naturais são aliados no controle da lagarta helicoverpa

Na safra 2013/14, levantamento realizado por pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em lavouras de soja do Paraná, revelou que o índice médio de mortalidade das lagartas de Helicoverpa armigera pela ação dos inimigos naturais (parasitoides, patógenos e nematoides) foi de 60,9%, o que confirma a ação positiva destes organismos no controle da praga. 

Os resultados dessa pesquisa estão disponíveis na publicação Inimigos naturais de Helicoverpa armigera em soja que está sendo lançada durante a 34ª Reunião de Pesquisa de Soja, em Londrina (PR).

O estudo consistiu na avaliação de 1387 lagartas de Helicoverpa armigera, coletadas entre outubro de 2013 a abril de 2014, em 16 municípios do Paraná. As amostras foram observadas no laboratório de Entomologia da Embrapa Soja quanto à ocorrência de agentes naturais de mortalidade. 

Entre as lagartas coletadas, apenas 29,8% foram consideradas sadias ao completaram seu desenvolvimento. "Portanto, fica evidente que os inimigos naturais presentes nas lavouras de soja, se não forem eliminados, são importantes para o controle natural da praga", explicam os autores da publicação Beatriz Corrêa Ferreira, Clara Beatriz Hoffmann Campo e Daniel Sosa Gómez.

A pesquisa revelou ainda que entre os inimigos naturais avaliados, o grupo dos parasitoides é o que mais contribuiu para redução populacional da lagarta helicoverpa nas lavouras de soja do Paraná, causando 48,9% de mortalidade. 

Os pesquisadores enfatizam, portanto, que a preservação dos inimigos naturais é uma estratégia fundamental no controle da helicoverpa. 

- Por isso, preferencialmente, os produtores devem priorizar o uso de inseticidas seletivos aos inimigos naturais como o baculovírus e o Bacillus thuringiensis, que são formulações biológicas que controlam a lagarta e não afetam seus inimigos naturais - explicam os autores. 

É importante destacar que a aplicação de inseticidas não seletivos aos insetos benéficos, de forma abusiva, apenas agrava os problemas com pragas, além de aumentar, desnecessariamente, o custo de produção.

Sobre a lagarta Helicoverpa armigera
A lagarta helicoverpa é considerada uma das pragas mais importante da agricultura mundial. No Brasil, foi identificada no inicio de 2013. A Helicoverpa armigera é uma praga polífaga, ou seja, ela se alimenta de várias culturas, portanto, são mais difíceis de serem controladas, já que é abundante a oferta de alimentos durante todo o ano. 

Portanto, a melhor forma de lidar com essa situação é adotar o manejo integrado de pragas nas diferentes culturas que compõe o sistema produtivo, pois a utilização inadequada de inseticidas sem observar outras táticas de manejo pode agravar ainda mais o problema.

Fonte: Lebna Landgraf/Embrapa Soja
Foto: Paulo Palma Beraldo/De Olho no Campo

Postagens mais visitadas