Indústria de castanha nacional terá unidade na África

Brasileira Usibras colocará em operação no início do ano que vem uma fábrica em Gana, que deverá exportar para várias regiões do mundo, entre elas o Oriente Médio

A Usibras, indústria brasileira de castanha de caju, colocará em operação uma fábrica em Gana, na África, no início do ano que vem. A empresa é a maior processadora do produto no Brasil e com a abertura da unidade africana deve ficar entre as maiores do mundo, segundo o seu diretor-presidente, Francisco Assis Neto. De Gana, a Usibras pretende exportar castanhas para várias regiões, entre elas Europa, Estados Unidos, Ásia e Oriente Médio.

A unidade africana ficará em Prampram, na Grande Acra, e processará 40 mil toneladas de castanha de caju por ano, segundo Neto. O produto será comprado na própria região da Costa Oeste da África, que é cultivadora da fruta. “Escolhemos Gana porque é o país mais seguro na Costa Oeste”, relata o diretor-presidente. A fábrica, que terá 30 mil metros quadrados de área construída, começou a ser feita no final do ano passado.


A Usibras tem três unidades produtivas atualmente, uma em Aquiraz, no estado do Ceará, uma em Mossoró, no Rio Grande do Norte, e uma nos Estados Unidos. A fábrica norte-americana trabalha com frutas secas e nozes, de acordo com Neto. No Brasil, a Usibras processa ao redor de 50 mil toneladas ao ano. A capacidade total da empresa no País é de 80 mil toneladas.

A Usibras não está usando a totalidade da sua capacidade de produção em função da falta de disponibilidade da castanha no Brasil decorrente de uma seca que afetou a colheita da fruta. Em função disto, a própria Usibras vem importando castanha da África para processar em suas unidades e para vender a outras fábricas no País. Ela também está exportando a castanha dos africanos para outras nações, segundo Neto.

A empresa brasileira direciona atualmente apenas 30% da produção que é feita no Brasil ao mercado interno. O restante é exportado para mais de 40 países, entre eles europeus, a Austrália, o Japão, os da América Latina e do Oriente Médio. Os produtos são vendidos com a marca Dunorte. Além de castanha, a Usibras processa outros produtos, como amendoim.

Fonte: Agência de Notícias Brasil-Árabe
Foto: Divulgação

Postagens mais visitadas