"Estamos diante do maior desafio do milênio", diz ambientalista Dener Giovanini

Paulo Palma Beraldo

Entre os dias 03 a 06 de junho, o jornal O Estado de S. Paulo e a multinacional sueca Tetrapak realizaram a 2ª Semana Estado de Jornalismo Ambiental, na sede do Estadão, na capital paulista. Mais de 200 pessoas participaram do evento. O De Olho no Campo esteve presente durante os quatro dias na Semana. Um dos 15 palestrantes foi o ambientalista e documentarista cinematográfico Dener Giovanini. 


Sua palestra provocou reflexões sobre situações que vemos, ouvimos e produtos que consumimos diariamente. Nos discursos reproduzidos e não questionados. "Será que precisamos mesmo comprar aquela blusa nova? Ou outro celular?" questionou.

Abaixo, uma breve explicação de quem é Dener Giovanini e alguns trechos da palestra, com duração de 20 minutos, para que você também pense um pouco sobre meio ambiente, sustentabilidade e consumismo. 

Em 2003, por sua atuação na defesa da biodiversidade, recebeu da Organização das Nações Unidas o importante prêmio ambienta Unep-Sasakawa. Dener também já foi considerado um dos 100 maiores ambientalistas do mundo, pelo jornal francês Le Monde e, em 2009, foi eleito pela revista japonesa Sokotoko a 24ª pessoa mais influente do mundo na área ambiental, à frente do presidente norte-americano Barack Obama. 

Para ele, o maior desafio deste milênio é "conciliar o desenvolvimento econômico e social com a conservação dos recursos naturais". 

Na história da humanidade, nenhum país conseguiu vencer esse desafio. Todos, absolutamente todos os países do mundo, particularmente os do Hemisfério Norte, só se desenvolveram a um enorme custo ambiental

Sendo provocativo: não existe nada mais vulgar, do ponto de vista do mau uso, do que a palavra sustentabilidade. Hoje, parece que tudo é sustentável. O que a gente mais tem é o marketing verde. O marketing ambiental muitas vezes não passa de oportunismo, de pessoas que usam o discurso da sustentabilidade como se fosse uma solução para o Brasil. Você não consegue resolver todos os problemas  ambientais do Brasil dizendo: 'vamos ser sustentáveis!'. Nós temos uma política econômica no país que privilegia a redução de IPI (imposto sobre produtos industrializados) para a venda de carros que vão entupir e poluir o ar




Nós estamos depositamos, enquanto país, as nossas esperanças no Pré-Sal, no petróleo, o combustível fóssil, altamente poluidor. Nós estamos priorizando a utilização de combustíveis fósseis, como o caso do petróleo, do Pré-Sal, para sustentar a nossa economia. Não comprem o discurso fácil da sustentabilidade. Tem muito candidato político falando: 'somos sustentáveis'. A recomendação que eu faço é: duvidem, questionem.

Os recursos para tudo que se produz aqui demandam água, eletricidade, minérios. Tudo que comemos ou consumimos causa um impacto ambiental. Quanto maior o consumo, maior o impacto, com ou sem sustentabilidade.

A gente deve discutir com verdades, sem falácias, enxergando as coisas como elas são. Temos uma população de 110 milhões de pessoas entrando no mercado de consumo e exigindo cada vez mais um conforto social e econômico, o que é extremamente justo. A economia está baseada em um tripé no qual o pilar principal é o consumo. E quanto mais você precisar consumir, maior será a degradação ambiental, seja sustentável ou não sustentável

Postagens mais visitadas