Especial: Entrevista exclusiva com Luiz Carlos Budny, empresário do setor de equipamentos agrícolas


Paulo Palma Beraldo

Hoje o De Olho no Campo fala sobre a Budny, uma empresa de equipamentos agrícolas da cidade de Içara, no sul de Santa Catarina. Existente há 24 anos, a Budny tem 600 funcionários e iniciou suas atividades com a produção de peças e acessórios no ano de 1990.

E há pouco tempo, uma novidade alterou a história da empresa: o investimento na produção de tratores. Um mercado atualmente aquecido. No ano de 2013, segundo dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, foram comercializados mais de 83.000 máquinas agrícolas. 

Conforme conta o fundador da empresa com exclusividade ao De Olho no Campo, Luiz Carlos Budny, "o cliente se beneficia de uma tecnologia especialmente voltada a este público". 

Para a Budny, o resultado foi positivo. Os tratores representam 55% das vendas da empresa. São produzidos 10 tratores por dia e existem 70 pontos de revendas pelo Brasil, espalhados por todos os estados. A Budny possui cerca de 150 vendedores em todo o país que passam vários dias em propriedades rurais, anotando as dificuldades e sempre pensando em aprimorar a gama de produtos da empresa.

O sucesso do produto se deve a uma diferenciação: a opção por comercializar equipamentos para pequenos e médios produtores rurais. A ideia era criar um trator de menor tamanho, para pequenos produtores, porém que fosse robusto e com a mesma tecnologia encontrada nos importados, o que ocorreu por meio de uma reengenharia dos produtos existentes. Os modelos vão desde tratores com 25 cavalos, passando por 28, 50, 75, 83, 90 e 103. 

Modelo 2840, de 28 cavalos, voltado para agricultura familiar.
Trator tem 8 marchas à frente e 8 marchas à ré, com peso de 754kg.
Foto: Inpal-DF/Divulgação

Outro aspecto notável é a a nacionalização dos equipamentos. Aproximadamente 90% das peças dos tratores são produzidas no Brasil. Isso faz com que os equipamentos possam ser negociados por meio de financiamentos do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES). 

Além disso, há parcerias com outras empresas, como no caso da produção de motores, fornecidos pela MWM, considerada líder em tecnologia e desenvolvimento desse produto na América Latina, além da Fibrasul, empresa local que fornece parte da carenagem do trator e peças de plástico. 

Máquina de ordenha, grade hidráulica e carreta

Um dos objetivos de Luiz Carlos Budny é transformar a região de Içara em um cluster. O que caracteriza um cluster é a cooperação entre empresas situadas em uma mesma região e que fornecem produtos umas as outras. Exemplo: uma fábrica de pneus próxima a uma montadora de automóveis. A ideia da Budny é atrair fornecedores para perto das imediações da Budny e beneficiar ambos os lados, criando um parque automotivo no sul do estado catarinense. 

Diversificar é a ordem do dia

A Budny surgiu nos anos 1990 produzindo equipamentos para a secagem de fumo em estufas. Hoje, a empresa comercializa tratores e equipamentos para o setor agrícola, aviário e até leiteiro. São produtos como roçadeiras para trator, distribuidores de calcário, semeadeiras, arados, grades, polias, mancais, sistemas de ordenha, carretas, fornalhas entre outros. 

Veja abaixo uma conversa do De Olho no Campo com o fundador da empresa: Luiz Carlos Budny.

De Olho no Campo: O setor de produção de tratores é bastante concorrido e disputado por grandes montadoras. Que benefícios um cliente tem ao comprar um trator da Budny?
Luiz Carlos Budny: O foco da maioria das empresas deste segmento está voltado ao grande produtor. A Budny é especializada em atender a agricultura familiar, ou seja, pequeno a médio produtor. Desta forma, o cliente se beneficia de uma tecnologia especialmente voltada a este público.   

Linha de montagem da fábrica, em Içara-SC.

Recentemente a empresa passou a investir no mercado de Rondônia. Quais as expectativas para o estado e sua região?
Rondônia tem uma agricultura do porte da Budny, ou seja, tudo que fabricamos se encaixa no projeto de um território que necessita de tecnologia adequada para continuar crescendo e se desenvolvendo, pois a base da agricultura de Rondônia é a agricultura familiar.

Como funciona o pós-venda e a manutenção dos produtos da Budny? .
Atualmente contamos com mais de 70 pontos de venda e assistência distribuídos em todo o território Brasileiro e temos uma central de assistência que auxilia toda rede de venda, proporcionando ao cliente a assistência mais próxima de sua residência.

Quais os planos da Budny para o mercado internacional, principalmente o do continente africano, em expansão na atualidade?
Somos uma empresa dinâmica e flexível a oferecer a melhor tecnologia que se adeque às novas regiões. Já visitamos o mercado africano, em especial Angola, e lá percebemos um enorme mercado a ser explorado, temos várias intenções de negócio neste país. Também temos iniciado negociação aqui no Mercosul e demais países da América Latina.

Budny está presente em diversas feiras agrícolas ao redor do Brasil.
Foto: Divulgação
A produção atual da empresa é de 10 tratores por dia. Existem planos para aumentar esse número? O mercado de tratores está aquecido?
Já estamos ampliando nosso parque fabril para ultrapassar este limite, pois o mercado brasileiro permanece aquecido e com ótimo potencial de crescimento.

O senhor já visitou feiras como a Agritechnica, na Alemanha. Conseguiu trazer aprendizados  e tecnologias de lá para a Budny. Se sim, poderia dar alguns exemplos?
Visitamos e ficamos impressionados com toda a tecnologia que lá existe. Conhecemos outros opcionais adicionados aos tratores de lá e que aqui ainda não se utiliza, um exemplo é o sistema de engate do trator ao implemento agrícola de forma automática. Isto será um beneficio aos produtores na troca de implementos. Tecnologia de ponta que será aplicada aos tratores Budny.

O De Olho no Campo agradece pela atenção de Luiz Carlos Budny.

Postagens mais visitadas