Tunísia e Marrocos exportam azeite de oliva ao Brasil

A Tunísia e o Marrocos figuraram entre os fornecedores de azeite de oliva do Brasil no ano safra 2012/2013. Estudo divulgado pelo Conselho Oleícola Internacional (COI), com base nos dados de novembro, mostra que o mercado brasileiro é destaque na importação do produto e comprou no exterior 74,8 mil toneladas no período. As compras representaram aumento de 5% sobre a safra anterior, segundo o COI.

A União Europeia é a grande fornecedora de azeite de oliva do Brasil, respondendo por 88% do total. Deste percentual, 57% correspondem a vendas de Portugal, 24% da Espanha, 6% da Itália e 1% da Grécia. Argentina responde por 9% e Chile por 2%. 

Os volumes enviados por Espanha e Portugal são muito maiores do que os por outras nações. Os espanhóis embarcaram 18,4 mil toneladas para o Brasil e os portugueses enviaram 42,8 mil. 

Nos outros 1% importados pelo Brasil estão países fornecedores como Marrocos, Tunísia e Líbano. Os marroquinos enviaram 126 toneladas para o Brasil, os tunisianos 42,5 toneladas e os libaneses 25,5 toneladas. As exportações do Marrocos subiram porque no ano safra 2011/2012, o país não enviou nada para o Brasil, as da Tunísia cresceram 98%, já que estavam em 21,5 toneladas e as do Líbano subiram 372% porque no período anterior foram de 5,4 toneladas.

O ano safra 2012/2013 se refere a outubro do ano passado até setembro deste ano. No período também houve aumento nas importações de azeitonas de mesa do Brasil. As compras do produto no exterior alcançaram 109,05 mil toneladas, com aumento de 8% sobre a temporada anterior. Neste caso, a Argentina é a grande fornecedora, com 75% do total ou 81,3 mil toneladas, seguida por Espanha, com 13%, correspondentes a 14,1 mil toneladas, pelo Peru, com 11% ou 11,7 mil toneladas, e pelo Egito, com 1% ou 975,8 toneladas.

Entre os árabes também o Marrocos forneceu 20,5 toneladas de azeitonas para o Brasil na safra 2012/2013 e o Líbano vendeu 3,7 toneladas. O Marrocos não havia exportado azeitonas para o mercado brasileiro na temporada anterior e o Líbano havia embarcado 2,4 toneladas. Os egípcios também não tinham fornecido o produto no período 2011/2012.

Fonte: Agência de Notícias Brasil-Árabe (Anba)
Foto: Divulgação

Postagens mais visitadas