Especial: Avocados, de Bauru para o mundo

Variedade de abacate passou a ser produzida nos anos 1970; Bauru-SP é a maior produtora e exportadora do Brasil


Paulo Palma Beraldo

Esqueça as plantações de soja ou cana de açúcar, as pastagens com bois ou as laranjeiras floridas. Na fazenda Jaguacy, a dez quilômetros da cidade de Bauru, o produto é outro. Ao passar pelos portões brancos que separam a entrada da propriedade a rodovia Marechal Rondon, a sensação é de estar em uma indústria.

O caminho asfaltado leva até o armazém principal. Ali, dezenas de funcionários trabalham na seleção, processamento e descarte das frutas. “A gente passa pela estrada e nem imagina que é desenvolvido desse jeito”, comenta, entusiasmado, um visitante que estava na fazenda pela primeira vez.

Quem vê a estrutura não imagina que tudo começou em uma pequena garagem no fundo da casa de um engenheiro agrônomo, décadas atrás. “Eu tinha vários tipos de abacate plantados nas mudas da garagem. No começo era tudo muito pequeno, mas para mim já era enorme”, conta Paulo Leite de Carvalho. Ele e a mulher, Maria Cristina, foram os pioneiros na produção de avocado no Brasil.

E foi vendo os pais trabalharem com as mudas na garagem que os quatro filhos tomaram gosto pela cultura. Hoje, cada um deles assume uma função diferente na empresa, desde a produção ao marketing e subprodutos do avocado, como óleos, polpas e azeites.

Em Israel
Em 1980, a produção de avocado em Israel - um dos principais fornecedores da fruta para a Europa - decaiu. As condições climáticas provocaram um colapso produtivo. A crise israelense possibilitou a entrada da Jaguacy no mercado. E, pela primeira vez, os avocados bauruenses atravessaram o Oceano Atlântico. Desde então, as exportações registram anualmente índices de crescimento: nove a cada dez abacates produzidos na Jaguacy são exportados para a Europa.

Tanto que em 2011 a empresa instalou um escritório na Holanda, na cidade portuária de Rotterdam, para facilitar a logística na Europa. Sem depender de importadores, as vendas da Jaguacy aumentaram cerca de 30%. Lígia Falanghe Carvalho, a filha responsável pelo Marketing e Recursos Humanos da empresa, conta que boa parte do continente europeu consome o avocado brasileiro. “O avocado é distribuído atualmente na Holanda, França, Suíça, Itália, Suécia, Finlândia, Noruega, Alemanha, Inglaterra e Espanha”.

Valor nutricional
A estudante de psicologia Carolina Moreira foi para o Chile há poucos meses. O país é um dos que mais consome avocado no mundo. Ela conta que o consumo da fruta está enraizado na cultura local. 

“É muito comum encontrar saladas, sopas, sanduíches, cachorros-quentes e pratos salgados que tenham avocado. Lá, eles chamam de palta”. Ela diz que no começo tinha receio, mas acha importante experimentar e conhecer culturas e alimentos diferentes daqueles que estamos habituados.

No lado direito da foto, 'palta', comumente
utilizada em cachorros-quentes.
A nutricionista Ana Amgarten Tiengo explica que o avocado é menor que o abacate e contém menos água, o que faz com que o teor de nutrientes seja mais concentrado. Além disso, tem cerca de 30% de óleo, enquanto o abacate tem 5%.

“É uma fruta de alto valor nutricional, pois contém em quantidades consideráveis nutrientes como potássio, vitaminas K, C, B5, B6, além de fibras e gorduras monoinsaturadas (aquelas que combatem o mau colesterol)”, afirma.

Ana ressalta que o avocado é uma ótima fonte de energia, “já que entre 71% a 88% do total de suas calorias são provenientes de gordura - quase 20 vezes a quantidade presente em média em outras frutas.”



Na ponta do lápis
O Estado de São Paulo é o maior produtor nacional de frutas. No Brasil são produzidas 43 milhões de toneladas e o estado representa mais de 40% deste montante, segundo o Instituto Brasileiro de Frutas (IBRAF). Com o abacate e o avocado, não poderia ser diferente.

A Jaguacy é responsável por mais de 80% da produção de avocado no Brasil. São 500 hectares de produção somente em Bauru e 30 produtores parceiros. As maiores plantações estão em São Paulo, no sul de Minas Gerais e no norte do Paraná.

O custo de plantação de um hectare de avocado gira em torno de R$ 8 mil, com 208 plantas espalhadas neste espaço; a produtividade média é de 15 mil quilos de avocado/hectare. Uma planta demora aproximadamente três anos para começar a dar frutas.

E assim, às margens de uma rodovia onde todos os dias passam milhares de brasileiros, uma fazenda produz frutas que terminam nas mesas de famílias do outro lado do mundo.

Foto: Paulo Palma Beraldo
Consumo desta variedade cresceu nos últimos anos
Os avocados foram introduzidos no mercado brasileiro em 1997. Na época, o público não tinha o costume de consumir a fruta. Há uma resistência ao consumo de avocado, já que o abacate é consumido majoritariamente com açúcar ou batido no leite, enquanto o avocado é mais indicado para pratos salgados.

Foi aí que entrou o papel da publicidade. Com outdoors e degustações nos mercados, academias e salões de beleza, os resultados começaram a aparecer. A Jaguacy continua participando de eventos - onde distribui avocado e explica suas qualidades nutricionais -, faz parcerias com restaurantes locais e pontos de venda estratégicos, com o intuito de ampliar a cultura do avocado, como explica Ana Martha Chiaramonte, relações públicas encarregada de prestar serviços à empresa. 

Ela acrescenta que “parcerias com restaurantes de comidas típicas que visam difundir a cultura do avocado e das culinárias estrangeiras são uma ótima forma de atrair novos consumidores”.

Nos últimos 15 anos, o consumo de avocado está em alta. Hoje em dia a Jaguacy distribui o produto para 20 Estados. Em Bauru, são comercializadas mais de 8.000 caixas de quatro quilos a cada ano. Os maiores compradores são as grandes redes de supermercado - tanto na Europa quanto no Brasil.

Além disso, a Jaguacy trabalha com a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) e as Centrais de Abastecimento (Ceasa) locais, a fim de organizar e dinamizar a distribuição do produto.

Esse texto foi publicado no Jornal da Cidade de Bauru-SP

Postagens mais visitadas