Soro de leite de vaca é opção para engordar cordeiros

O soro do leite de vaca é uma alternativa eficaz, e mais barata, para alimentação dos rebanhos de ovinos no Ceará. É o que comprova o trabalho que pesquisadores da Embrapa Caprinos e Ovinos (Sobral, CE) têm feito na região de Morada Nova, distante 167 km de Fortaleza.

De acordo com a pesquisadora Luciana Shiotsuki, o soro é um subproduto rico em proteína, muitas vezes descartado pela indústria leiteira, mas a sua utilização na dieta dos cordeiros pode reduzir os custos de produção. “Esta proteína é fornecida para equinos, suínos e bovinos de leite mas poucos a utilizam para alimentação de ovinos”, explica.

A inclusão de soro na dieta dos cordeiros participantes do 7º Teste de Desempenho de Ovinos Morada Nova, proposta pelo pesquisador Marcos Cláudio Pinheiro, tem demonstrado excelentes resultados que estão sendo apresentados nesta semana, no encerramento do evento, entre os dias 28 a 30 de janeiro. Os pesquisadores estão comparando os benefícios de se utilizar uma dieta à base de ração de milho, sorgo, ureia e feno de capim tifton – considerada cara para a região Nordeste – e os ganhos obtidos com a utilização do soro do leite de vaca.

Outro diferencial desse 7º Teste em relação aos anteriores é a realização do exame andrológico por meio da coleta de sêmen dos cordeiros. Ao final do teste, além do certificado avaliando o potencial de crescimento, o animal será certificado pelo seu potencial como reprodutor.

Este ano, além de criadores da região de Morada Nova, participam do Teste de Desempenho, que teve duração de 100 dias, criadores do baixo Jaguaribe, Sobral, Icó e Crato. Os 15 primeiros dias foram dedicados para adaptação dos animais, o restante do período foi a prova efetiva, em que os animais foram pesados a cada 15 dias. Os cordeiros foram confinados em quatro baias contendo de 7 a 8 animais, onde receberam alimentação três vezes ao dia, de acordo com o peso do lote.

Patrimônio municipal

Os animais da raça Morada Nova são Patrimônio Cultural, Histórico e Genético da cidade de Morada Nova – CE, instituído por meio da Lei Municipal Nº 1.597, e existe um pedido para que sejam considerados também patrimônio histórico cultural do Ceará.

Os ovinos Morada Nova foram primeiramente encontrados naquela região e apresentam características importantes como a rusticidade (adaptados, portanto, à região semiárida), excelente qualidade do couro e alta prolificidade (apresentam maior número de cordeiros por parto).

Em virtude da inserção de outras raças exóticas no País, os ovinos Morada Nova chegaram perto de ser extintos. Atendendo a uma demanda dos criadores e visando à preservação genética, a Embrapa Caprinos e Ovinos iniciou um projeto para recuperação da raça, em 2007. Uma das ações é o trabalho de melhoramento genético participativo com os criadores da região, que envolve o teste de desempenho, realizado anualmente.

Fonte:
Embrapa Caprinos e Ovinos
Adriana Brandão

Postagens mais visitadas