Embrapa apresenta nova variedade de tomate

Considerado um dos mais importantes do mercado brasileiro, o segmento do tomate tipo salada ganhou mais um integrante com o lançamento, pela Embrapa Hortaliças (Brasília, DF), do BRS Imigrante, híbrido F1 para consumo in natura. Lançado na primeira quinzena de janeiro, o híbrido apresenta tolerância às principais espécies de begomovírus (geminivírus) e resistência às três raças do fungo Fusarium oxysporum f. sp. lycopersici
“O BRS Imigrante é um dos primeiros híbridos de tomate que combina tolerância contra os geminivírus e o Fusarium raça 3”, assinala o pesquisador Leonardo Boiteux, que coordena o Programa de Melhoramento de Tomate da Unidade Hortaliças da Embrapa.



Boiteux explica que os passos iniciais do projeto de pesquisa foram conduzidos “em caráter emergencial”, a partir de uma demanda de produtores do Espírito Santo. Segundo ele, até 2005 só existiam no País duas raças do fungo Fusarium, que eram facilmente controladas com variedades resistentes. 
O cenário mudou drasticamente com a identificação de uma grande ameaça: a presença de uma nova raça do fungo ainda não detectada no Brasil. Essa raça (denominada raça 3) foi inicialmente percebida no município de Venda Nova do Imigrante (ES). Hoje, a doença se encontra espalhada pelos estados da Bahia, Minas Gerais e Rio de Janeiro, e todas as variedades de tomate líderes de mercado se mostraram extremamente suscetíveis à doença.
O enfrentamento da terceira raça do fungo foi conduzido em parceria com o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper). “O instituto tem sido um grande e importante aliado da Embrapa Hortaliças e não foi diferente nos trabalhos de pesquisa para a identificação da doença e para a validação do BRS Imigrante”, sublinha Boiteux. “O híbrido apresentou níveis elevados de resistência em todos os ensaios conduzidos em áreas contaminadas no Espírito Santo e em Minas Gerais”, registra Helcio Costa, pesquisador do Incaper que participou da equipe de desenvolvimento do híbrido.
O BRS Imigrante também se destaca pela firmeza e tamanho dos frutos, pelo sabor adocicado (4.5°brix) e pela durabilidade pós-colheita. “Normalmente, os tomates com alta resistência ao Fusarium raça 3 apresentam frutos moles e com reduzida vida pós-colheita. No entanto, isso não ocorre com o BRS Imigrante”, ressalta Boiteux.
Pesquisa
Com a identificação do Fusarium raça 3, foi criado um projeto de pesquisa com o objetivo de desenvolver materiais com resistência ao fungo. De acordo com o pesquisador Ailton Reis, da área de Fitopatologia, que atuou no projeto, a primeira fase dos trabalhos envolveu a seleção de fontes de resistência, seguida do desenvolvimento de linhagens avançadas com características promissoras. “Chegou-se a duas linhagens, uma resistente ao Fusarium e a segunda com características agronômicas interessantes, e resistente a geminivírus, além de maior produtividade”, explica Ailton.
A nova cultivar apresenta ciclo médio, porte do tipo “meia-estaca”, e potencial produtivo de até 480 caixas de 25 kg por mil plantas. O BRS Imigrante, cujo nome é uma homenagem aos povos imigrantes que consolidaram no Brasil o hábito de cultivo e consumo de hortaliças, em especial o tomate, foi desenvolvido via contrato de cooperação técnica com a Agrocinco Ltda, nos termos da Lei de Inovação Tecnológica, de 02/12/2004, regulamentada em 11/12/2005.
Os interessados em adquirir sementes do BRS Imigrantes devem entrar em contato com a empresa pelo do e-mail agrocinco@agrocinco.com ou pelo telefone (19) 3879-6787.      
Fonte: 
Anelise Macedo    
Embrapa Hortaliças

Postagens mais visitadas